Acesso Restrito
GPC

O GRUPO



As finalidades do GPC são: promover o ensino, o desenvolvimento, a aplicação, a pesquisa e a divulgação da Psicanálise dentro dos princípios estabelecidos pela IPA; congregar e qualificar Psicanalistas dentro dos padrões estabelecidos pela IPA; promover a formação permanente de seus membros; desenvolver atividades científicas e projetos relacionados à Psicanálise abertos à comunidade em geral.

O Grupo Psicanalítico de Curitiba (GPC) é a entidade associativa de psicanalistas, no Paraná, filiada à Federação Brasileira de Psicanálise (FEBRAPSI) e à International Psychoanalytical Association (IPA), reconhecido como “Grupo de Estudo de Psicanálise” em janeiro de 2013.



GPC GPC

Diretoria



2017 - 2018

Diretor Presidente: Dr. Géo Marques Filho

Diretora de Secretaria: Psic. Edna Maria Romano Wallbach

Diretor Tesoureiro: Dr. Marcio A. Johnsson

Diretor Científico: Dr. Sergio Seishim Kaio

Diretora de Assuntos Comunitários: Dra. Solange Luiz Caldas Santos

Diretor Comissão Avaliação e Progressão de Membros: Dr. Edival Perrini

Diretora do Instituto: Psic. Marli Claudete Braga

Sponsoring Committee (IPA): Dr. Claudio Campos Filho, Psic. Miriam Catia Bonini Codorniz

Conselho Consultivo: Dr. Edival A. L. Perrini, Dr. João Carlos Braga, Dra. Sionéa Alves Cardoso de Souza

  • - Coordenação do Site: Psic. Fábia B. Garcia Herrera
  • - Representantes

FEBRAPSI: PSIC. EDNA MARIA ROMANO WALLBACH

Conselho Professional (FEBRAPSI): Dr. Géo Marques Filho

Revista Brasileira de Psicanálise: Dr. Sergio M. T. Trunci

História

Durante os anos de 2010 e 2011, um grupo de psicanalistas vinculados à International Psychoanalytical Association (IPA), residentes e trabalhando em Curitiba ( Andreas Linhares, Cleuza Perrini, Edival Perrini, Edna Wallbach, Elizabeth Andrade e Silva, Fábia Herrera, Géo Marques Filho, João Carlos Braga, José Carlos Vasconcelos, Marcelo Loyola Netto, Márcio Johnsson, Marli Braga, Mauro Santos, Sérgio Trunci, Sérgio Kaio, Sionea Souza, Solange Santos, Teresinha Souza, Vera Fischer, Vitor Bazzo Jr.) , privilegiaram verificar diferentes possibilidades de aprimoramento institucional. Deste modo, inúmeros psicanalistas, de diferentes sociedades psicanalíticas brasileiras foram convidados a nos visitar e compartilhar não só a sua experiência clínica psicanalítica, mas também a sua experiência institucional.

Em 02 de março de 2012 tivemos uma reunião com a presidente da FEBRAPSI, na época, Sra. Gleda Araújo e com o Chair da IPA para a América Latina, na época, Dr. Mauro Gus, onde foram esclarecidos os passos necessários para conquistarmos a qualificação institucional como “Study Group” filiado à IPA.

Em 02 de maio de 2012, em Assembleia Geral Extraordinária presidida por Márcio Antônio Johnsson, secretariada por Edna Wallbach, com a presença dos psicanalistas listados acima, é lida e aprovada por unanimidade a carta, redigida por Andreas Linhares, que foi encaminhada à IPA, na época sob a presidência do Dr. Charles Hanly e sob a Secretaria-Geral do Dr. Heitor Gunther Perdigão, solicitando o Site Visit Committee, para qualificação como “Study Group”.

Após passar pelos trâmites institucionais da IPA, a solicitação é aprovada, e em 25 de agosto de 2012 recebemos em Curitiba o Site Visit Committee da IPA, composto pelo Dr. Cláudio Campos Filho e pela Psic. Miriam Catia Bonini Codorniz.

Em 31 de janeiro de 2013, recebemos a noticia de que o relatório apresentado pelo Site Visit Committee foi aprovado pelo Board da IPA, nos qualificando como “Study Group”. Adotamos a denominação de Grupo Psicanalítico de Curitiba (GPC), sendo renomeados como Sponsoring Committee o Dr. Cláudio Campos Filho e a Psic. Miriam Catia Bonini Codorniz. Os Psicanalistas que assinaram a carta de solicitação à IPA são considerados “Membros Fundadores” do GPC.

No ano de 2013 foram realizadas três visitas do Sponsoring Committee ao GPC, com uma agenda intensa de reuniões, discussões e apresentação de trabalhos objetivando a requalificação dos membros do grupo, a elaboração do estatuto e regimento interno do instituto do GPC, e outras questões necessárias ao aprimoramento institucional do grupo. As atividades seguiram pelo ano de 2014 adicionados à tarefa também de progressão dos membros e da efetivação dos diferentes departamentos. Em maio de 2015 teve seu Estuto Social aprovado em Assembleia Geral, e em seguida se dedicou à criação e aprovação dos Regimentos Internos de seus departamentos, incluindo o Instituto de Psicanálise.

Em 2016, com a aprovação do Regimento Interno do Instituto de Psicanálise, foi realizado o processo de seleção da primeira turma para a formação psicanalítica. As atividades letivas do Instituto se iniciam em 2017.

O GPC é grato a todos os colegas que já nos auxiliaram e aos que continuam a nos auxiliar neste desenvolvimento institucional.

FUNDAÇÃO

O Grupo Psicanalítico de Curitiba foi fundado em janeiro de 2013 quando foi aceito pela International Psychoanalytical Association (IPA) e pela Federação Brasileira de Psicanálise (FEBRAPSI) como "Grupo de Estudo".

PSICANÁLISE

Em fins do século XIX, o médico austríaco Sigmund Freud (1856-1938) deparou-se com pacientes com presença de sinais e sintomas que constituíam as “neuroses”. Pesquisando, junto aos pacientes a origem destes sintomas, concluiu que estes resultavam de processos mentais inacessíveis, inicialmente, à consciência do paciente. Apesar de presentes na mente do indivíduo, estes processos mentais estavam acobertados pelo que, na época, Freud chamou de repressão.

Freud entrou em contato com a descoberta de uma parte inconsciente, ou seja, de uma parte em nossa mente de que não nos damos conta, apesar de sofrermos as conseqüências de sua presença. Desta forma, uma nova e científica compreensão dos fenômenos psíquicos e do comportamento humano tornou-se possível. O que se passa na nossa consciência, o que nos damos conta, é apenas uma parte de nossa vida mental.

Estava criado, por Freud, um método de trabalho e de tratamento, denominado de psicanálise.

Ao longo de sua vida, Freud foi aperfeiçoando o método, a técnica e as implicações de suas descobertas. Estavam lançados seus fundamentos. Freud, em 1923, em artigo para ser publicado na Enciclopédia Britânica, escreve: “psicanálise é a denominação dada ao procedimento para a investigação de processos mentais, quase inacessíveis por outros meios, um método para o tratamento de distúrbios neuróticos ou, ainda, uma coleção de informações psicológicas obtidas ao longo dessas linhas, e que gradualmente se acumula em uma nova disciplina científica“. Ficam caracterizadas três dimensões da psicanálise: a psicanálise como forma de contato com o mundo mental, seu tratamento (psicanálise clínica) e conjunto de conhecimentos decorrentes (psicanálise aplicada). Durante estes mais de 100 anos de existência, a psicanálise desenvolveu-se e pôde antepor-se como o recurso de escolha no tratamento dos distúrbios emocionais, além de ter seus conhecimentos incorporados, em todas as áreas da cultura contemporânea, nas esferas social, científica, cultural, educacional.

Após Freud a psicanálise evoluiu muito. A experiência clínica se desenvolveu, dentro das próprias mudanças da cultura, e hoje, a psicanálise, presente em todo o mundo, é impossível de ser resumida, mas reconhece o valor da obra de vários psicanalistas que dedicaram ao aprimoramento do campo aberto pelo genial médico de Viena. Entre eles destacam-se Melanie Klein, Donald Winnicott e Wilfred Bion.

A International Psychoanalytical Association (IPA)

Freud, em 1910, patrocinou a criação de uma Associação Internacional de Psicanálise para congregar as sociedades psicanalíticas existentes, normatizar a formação dos psicanalistas e evitar distorções e descaminhos na psicanálise, com a expansão de sua prática.

A International Psychoanalytical Association (IPA) (veja www.ipa.org.uk), atualmente sediada em Londres, é o organismo que coordena todo o movimento psicanalítico mundial. Ela congrega, atualmente, setenta sociedades psicanalíticas, situadas em trinta e três países e com mais de onze mil e quinhentos psicanalistas associados.

Os objetivos da IPA são, no âmbito mundial, o estímulo ao desenvolvimento e expansão do conhecimento psicanalítico, e o cuidado na manutenção e aprimoramento dos padrões básicos para a formação de novos analistas.

Para atingir seus objetivos, a IPA organiza, bianualmente, congressos e pré-congressos internacionais de psicanálise, com todo o universo de analistas e alunos em formação (candidatos), além de conferências regionais, destinadas a reunir analistas de uma mesma região geográfica, mas de países diferentes.

Produz regularmente o “International Journal of Psychoanalysis“, onde são publicados, após crivo editorial, trabalhos de psicanalistas do mundo inteiro (para visitar o site do “International Journal”, clique aqui) . Avaliza também a publicação regular de um boletim, a Newsletter. E promove o contínuo fluxo de analistas entre as várias regiões e países, seja pelo trabalho desenvolvido pelos vários comitês e comissões, seja por visitas científicas, gerando um intercâmbio constante.

Para visitar o site da IPA, clique aqui

A Federação Brasileira de Psicanálise (FEBRAPSI)

A Federação Brasileira de Psicanálise (veja www.febrapsi.org.br ) foi fundada em 1967, sua sede é no Rio de Janeiro e tem como propósito congregar e articular as ações das sociedades de psicanálise e grupos de estudo psicanalíticos vinculadas à IPA existentes no Brasil.

A Federação Brasileira de Psicanálise realiza o Congresso Brasileiro de Psicanálise a cada dois anos. Edita, regularmente, a “Revista Brasileira de Psicanálise” (para visitar o sete da Revista, clique aqui), que publica, à nível nacional, os trabalhos dos psicanalistas brasileiros. Também é publicado o “FEBRAPSI Notícias” e o “Roster da FEBRAPSI” que contém a lista de todos os psicanalistas membros da Federação Brasileira de Psicanálise.

Para visitar o site da FEBRAPSI, clique aqui